Pérolas acessíveis

Correndo o risco de chover no molhado: pessoas, procurem diversões gratuitas na sua cidade. Vale a pena e rende ótimas surpresas.

No último fim de semana, maridoffmann e eu estávamos contendo gastos e recebi a dica providencial da minha amiga Ana Cristina Kashiwagi (valeu, Ana!) sobre a apresentação Kurasawa e Sonhos no sábado, 5/5, no Sesc Santos. Uma exibição do filme Sonhos (na verdade, oito curtas do diretor japonês baseados em seus sonhos recorrentes), com trilha sonora do compositor Anselmo Mancini, executada ao vivo por ele (piano), Kooi Kawazoe (koto e shamisen), Silnei Doomacil (flauta transversal e piccolo) e Rubens Alves (vibrafone e percussão). Foi uma experiência sensorial mágica.

No domingo (6/5), fomos ao Museu do Café, no centro da cidade, ver a exposição intinerante Estação da Língua Portuguesa, com parte do conteúdo do Museu da Língua Portuguesa (aquele que pegou fogo), que vinha percorrendo cidades do estado de São Paulo. Eu nem sabia dessa mostra, mas estava decidida a fazer alguma coisa diferente no domingo e peguei a dica no site Juicy Santos, que sempre tem alguma opção para quem quer ver mais que praia por aqui. Chegamos a tempo de pegar o último dia.

Aproveitando que Santos é uma pequena grande cidade, fizemos tudo a pé, depois do almoço, voltando para jantar em casa. Curtimos: horrores. Gastamos: zero dinheiro.

Verifiquem sempre a programação do Sesc mais próximo da sua casa. Acompanhem os eventos nas bibliotecas públicas. Procurem. Sei que às vezes a gente não tem dinheiro nem para o ônibus, mas, tendo chance, aproveitem. Adoro meu combo costumeiro de domingo, praia+videogame+Netflix, mas isso é confortável, e conforto não cria novidade. Sair da rotina faz bem à cabeça. Para quem pretende criar algum tipo de arte, contar histórias, dar um jeito de se expressar e tocar o mundo, é mais que bom: é essencial.

P.S.: Quem passar por Santos até 1/7, confira no Sesc a mostra “Barroco Ardente e Sincrético Luso-Afro-Brasileiro“, com curadoria de Emanoel Araujo e “pinturas, esculturas e artefatos religiosos apresentam referências do barroco na religião e nas culturas erudita e popular do Brasil e de Portugal, entre os séculos XVII e XIX.”

P.S.2: Outra opção com eventos culturais gratuitos em Santos é a Pinacoteca Benedicto Calixto, lindo casarão na orla com mostra permanente do pintor, belo jardim e um bistrô nos fundos (investimento opcional, rs!).

P.S.3: Quem perdeu o filme/música ainda pode ouvir a trilha no site do Anselmo!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s