Estamos só de passagem

Olhei para as ruínas de 2 mil anos atrás e finalmente compreendi o óbvio:
Estamos só de passagem.
Tudo isso já estava aqui quando nasci e permanecerá quando eu me for,
Inalterado pela minha passagem,
Indiferente à minha alegria, à minha dor.
Há um mundo inteiro lá fora esperando ser desvendado
Enquanto eu examino meu microuniverso particular,
Onde os problemas parecem imensos e os limites, instransponíveis.
Mas o único limite é a imaginação.
A grama ainda cresce enquanto eu pisco.
A borboleta sai de seu casulo,
O pássaro cai nas garras do gato,
O sol ilumina o norte enquanto o sul põe-se a dormir.
Nada disso deixa de ocorrer apenas porque eu deixei de olhar.
Para o mundo, meus problemas diários importam menos que a poeira no vento.
O cisco que arde em meus olhos não faz com que ele pare de girar.
A primavera virá ainda que eu insista no inverno.
O mundo é alheio a mim.
Eu não preciso ser alheia a ele.
A escolha é minha.
Mas alguém esqueceu de você.
Você o olhou repetidas vezes e ele sequer soube da sua existência.
Nem tudo saiu como você planejou.
Você falhou muito.
Ouviu não vezes demais.
E daí?
Teve a oportunidade de ouvir.
Pôde falhar naquilo que outros nem tentaram.
Foi ignorado, mas não deixou de existir por isso.
Nada disso importa.
Entende?
Abra os olhos,
Há tanto a se ver,
Tantas coisas maiores que eu e você.
Talvez você não possa mudar o mundo.
Mas ele certamente pode transformar você.
Nas ruínas,
Nas vielas,
No alto da torre,
Toque as rochas e sorria, pois elas são sólidas
E nós somos vento:
Nossa natureza é flanar.
Estamos aqui só de passagem:
Este pensamento me liberta.

Anúncios

26 comentários sobre “Estamos só de passagem

  1. Genial Mila!!

    Entrou pro time dos que vivem não mais na benção da ignorância, mas na eterna humildade só de quem já encostou de leve na densidade da existencia do homem enquanto espécie, e não individuo…

    Toda vez que pensamos quão grandes são nossas questões, lembraremos daquilo que realmente é grande, e nos sentiremos pequininhos diante a imensidão do universo….

    Mais humildes… mas é possível respirar fora da Matrix?

    • Pois é, Ma! O David já tinha ido a Paris e me disse: Paris te transforma. Eu adicionaria: o mundo te transforma. Viajar te modifica. Não sei bem por quê – se é o fato de experimentar, ainda que por cima, outras culturas e estilos de vida ou se é simplesmente porque a gente volta de coração mais leve -, mas muda. Amplia os horizontes, aguça a visão, fortalece o espírito. Eu só espero que o efeito seja duradouro, rs! E espero um dia poder ver as coisas que você viu!

  2. Meu robocop interior ficou emocionado agora.

    Como dizia aquela propaganda da STB (clichezasso, mas verdadeiro:) “a gente sempre volta diferente de uma viagem”.

    Que bom, Mi. Que bom! Fico imensamente feliz pela dádiva e inspiração.

    Beijo
    Cris

    • Pois é, Cris. Você que já ralou e viu o inóspito do alto lá no Peru certamente sabe do que estou falando. Muita gente já viajou bem mais do que nós e esteve em lugares muito mais impressionantes, mas não é onde você esteve, é COMO você esteve. 😉

  3. Transcedental, né? =o) e eu que me senti o maximinho por andar nas mesmas ruas que o grande Thomas Jefferson e não podia deixar de imaginar e me transportar e sentir como se… Aquilo tudo ainda estivesse acontecendo. Tu tá com tudo =o).

    Beijo.

    • Ah, flor, como eu disse há pouco pra Cris, pra mim, não é onde, mas COMO… Tem gente que vai pras Zoropas todo mês, a trabalho, ou só porque pode, porque tem grana e tempo. Gente que não se impressiona mais com a vista da janelinha ou com a beleza de cada cidade. Confesso que não os invejo. Triste seria perder a capacidade de se encantar com o mundo e suas peculiaridades. Tem mais é que se sentir “o maximinho” (rs!) por experimentar tamanho entusiasmo. Tem mais é que brincar de Thomas Jefferson. Tem mais é que brincar de legionários na Via Appia. E… é melhor eu parar por aqui antes que revele as partes mais ridículas da viagem, rs!!!

  4. Só tenho uma coisa a dizer, maninha: bem-vinda!!
    Eu flano por esse mundo aí há um tempão. Não fui a Paris ainda e a nenhum desses lugares onde a história põe nossa vidinha no chinelo. Mas já estive perto…
    Lugares onde muita gente não se deixa levar, não observa as coisas, os pequenos detalhes, não se abre pras experiências.
    Por onde passo, deixo o lugar me levar, me transformar, trespassar o ser e o saber. E assim a gente aprende muito mais… e ser mais nós mesmos. Um “nós” bem melhorado.
    Amooooo!!!!
    Viajar é a minha vida.

  5. Marilia
    Minha vontade é pedir a voce para assinar embaixo de tudo que disse,mas acho que é muita pretençao minha…Então curvo-me a sua arte e a voce, com este dom maravilhoso e sensivel que tem de descrever coisas da vida e do mundo, de forma tão clara, bela e inteligente.
    Um grande beijo
    PARABÉNS
    T I N I N

    • Tinin, eu agradeceria pelo comentário no meu blog, mas como a mensagem foi para a Marilia e não para mim acho melhor deixar que ela mesma responda, rs.

  6. Eu já estive lá nas Zoropa, visitei a Alemanha e me senti menino quando visitei o Deutsch Museum com suas exposições de máquinas e quando visitei a Gliptoteca de Munique, com sua coleção de estátuas de imperadores romanos (Adriano e Antinoo estão lá, quase de mãos dadas, celebrando seu amor a quase 2000 anos).

    Mas o que me emocionou muito, muito mesmo, foi um espaço vazio no centro da cidade: o lugar onde ficava a antiga sinagoga que foi vandalizada e destruída pela barbárie nazi.

    Se você e o David retornarem algum dia lá “pra riba”, visitem Deutschland, vale muuuuuito a pena

    • Oi, Jorge! Gostaríamos, sim, de ir à Alemanha! O David esteve em Hamburgo há uns anos, mas o mais perto que eu cheguei da Alemanha foi ver uma exposição de arte greco-romana do Museu Pergamon de Berlin que foi trazida pra Sampa e exposta na FAAP (de graça!). Mas são tantos lugares pra ver, tão curtas as férias e a grana (rs!), que não sei quando isso vai rolar. Valeu pelas dicas!

  7. Pingback: CyberGi » Momento de debug

  8. + uma vz, 1 belíssimo texto…
    destaco: “A borboleta sai de seu casulo”
    e dxo-te este meu poema:

    CRISÁLIDA
    (Öyiivän – 16/03/2010)

    Ser ninfa!…Num casulo, envolvida!
    E dentro de um invólucro, viver…
    Ter alma presa… Presa vida!
    E como enlevada lagarta, morrer…

    Lagarta verde… Que te foi da vida?!
    Morrer, além de tudo, morrer?!
    Ser em tudo lagarta, ser vida!
    E da crisálida, borboleta nascer…

    Bate as asas, demudada!
    E esvoaças, nas alturas, teu renascer!
    E vais, assim, metamorfoseada!
    Como borboleta, a correr…

    Lépida!…Corres voejando pelo céu!
    E pelo mundo vais, pela vida!
    E ruflando as asas, num escarcéu!
    Refulges toda colorida…

    Um dia lagarta… O outro, crisálida!
    E ainda mais, vívida borboleta, além!
    E toda envolta, em voltas cálidas!
    Muda à vida como eu mudo também…

    🙂

    • Oi, Tanatus!

      Não deve haver nada mais triste que morrer lagarta. Eu quero é voar! Lindo poema, parabéns!

      Beijão.

  9. ahhhh Camila, sinto até uma sensação de tempo perdido quando lembro de que estamos aqui só de passagem.
    penso nos lugares que nunca vou ver, penso nas coisas que tenho medo e sempre deixo pra depois, penso na libertação que é sumir daqui um dia, deixar esse mundo pra trás rumo ao nada, ou a algum lugar… penso em como é digno estar aqui as vezes.

    vc passa uma mensagem mto clara e vibrande n que escreve. gosto disso!

    • Ah, Tassia, não pense nos lugares que nunca verá, mas nos que AINDA verá! A vida é curta, mas surpreendente. E eu, por saber que às vezes sou meio rígida e teimosa, tento estar sempre de braços abertos pra deixar que ela me pegue de surpresa e me leve a lugares que nunca imaginei (metaforicamente também, rs). Se joga! Beijão…

  10. Fantástico…Esse poema me fez refletir muito……………..ainda refletindo………………Parabéns Camila, conhecia suas belas ilustrações, mas depois deste poema vi que vós não se resume apenas em uma arte…és uma artista multi-talentosa!

  11. Só um poema lido e seu blog já está nos meus favoritos O.o
    Sou leitora e escritora de fanfics, poemas e letras e fico feliz em encontrar pessoas que escrevem como você… Me Inspira! :3

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s