Um anjo ocasional

Um anjo ocasional passa por mim.
Sua tarefa é lembrar-me da minha humanidade.
Quando estou bela e leve e firme ele passa por mim,
Não andando,
Mas a voar,
Airoso,
Perfeito,
Ele… ela.
Ela passa por mim, fragmentando minhas certezas,
Dizendo, sem nada dizer,
“Lembre-se”.
Eu obedeço.
Lembro-me de que sou humana,
Algo baixo que rasteja num chão de poeira e merda.
Lembro-me de como dói amar a Lua quando se vive na Terra.
Lembro-me: sou mera poeira estelar,
Restolho de algo que nada será por milhões de anos
E que, se já foi alguma coisa, ninguém o recorda.
O céu, o infinito, a perfeição,
São para os anjos.
Não para mim.
Quisera não amá-los tanto assim.

Anúncios

10 comentários sobre “Um anjo ocasional

  1. Maravilha Camila, esse poema você escreveu com um espinho debaixo da unha… Sentimentos intensos e verdadeiros e perturbadores..

    • Jorge, fico feliz que esses versinhos possam atingir seu interesse de alguma forma. Poesia normalmente é uma forma de expressão tão pessoal e hermética que só tem sentido para quem escreve; se tiver sentido para mais alguém, é um privilégio para o autor. Pelo menos eu penso assim.

  2. Amores idealizados e inviáveis costumam ter esse mesmo efeito. Já rastejei muito na poeira e na merda. 😀

  3. Postei a mensagem acima no ápice da minha febre gripal. Por favor delete-a se achar cabível, ok? Beijocas.

  4. Camila,
    esse seu poema é pra ser lido com a “Creep”do Radiohead tocando de fundo… 🙂

    Quem nunca se sentiu um creep rastejando atrás de alguém so very special, que atire a primeira pedra…

    Um grande poema toca uma corda em comum no coração de todos que o leiam, por mais hermético que o seu significado original seja.

    Parabéns outra vez, você escreve muito bem.. simples assim 🙂

    Bjs

    • DAMN, Jorge… eu que nem sou muito fã do Radiohead também tenho um fraco por essa música. É tão simples e verdadeira, sem medo de fazer seu autor parecer patético. Talvez seja exatamente esse tipo de honestidade – e simplicidade – que caracterize as obras que mais afetam as pessoas.
      But I’m a creep, I’m a weirdo, what the hell am I doing here? I don’t belong here.
      :-S

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s