Espera aí

Espera aí, não te vás, não antes de ouvir-me.
Não negues o que digo, eu confio em meus olhos,
E o que vejo e o que canto é a beleza.
Maior que a juventude, pois esta passa,
Maior que a velhice, pois esta tardará,
Maior mesmo que o espanto do início.
Encanto: este permanece e, na alquimia dos dias, transfigura-se em amor.
Deixa, pois, meu verbo louvar tua passagem,
Minhas palavras amarem tua pele,
Minhas mãos orarem mudas no altar que é teu corpo.
Deixa meu canto apregoar sem rima aquilo que é sem igual.
Que cada gesto meu declare o que já é patente.
Que eu não possa olhar-te com menos que respeito,
Que não saiba falar-te com menos que ternura,
Que não te ame nunca com menos que todo o meu ser.
Não te ocupes do ontem, não me prometas o amanhã.
Cumpre somente hoje o ritual que nos cabe
Pois todo amor é banal.

Anúncios

4 comentários sobre “Espera aí

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s