Absinto, a fada verde

Álcool desinibe os inibidos, aproxima os distantes, aquece os frios. Faz de um bebedor irmão do outro – ou inimigo mortal. Eu não acredito que, alterados por bebidas, fazemos coisas que não faríamos de nenhum outro jeito. Acredito, sim, que fazemos as coisas que adoraríamos fazer, mas para as quais normalmente nos falta audácia (ou sobra senso do ridículo). A embriaguez traz à superfície o melhor e o pior de cada um. Pense naquela mocinha tímida que, após uma ou duas cervejas, finalmente cria coragem para abordar um alvo romântico na festa. Ou naquele sujeito violento que, depois de mamar todas, mata a família inteira…

Quem anda comigo sabe que bebo pouco, quase nada. Nem preciso, embriago-me por osmose. Mas sempre nutri algum fascínio pela relação que as pessoas têm com o álcool. Fascínio com certa dose de repulsa, pois, independentemente de qualquer julgamento de ordem moral, não consigo entender como dá para ter algum prazer bebendo coisas amargas que deixam a gente tonta. Cerveja? Blé. Chopp? Blé-2. Não consigo gostar de nada muito diferente de Malzbier, licor e vinho bem doce. Eu quero é me adoçar por dentro.

Lendo, descobri o absinto. Não, nunca bebi. Provavelmente nem beberei. Mas de alguma forma caí no encanto da fada verde.

Absinto marcou época. Simbolizou o hedonismo e o escapismo dos boêmios pré-século XX. Ganhou fama de alucinógeno forte, capaz de levar os adeptos a atos criminosos. Foi proibido em muitos países. É assim que seu simbolismo se torna ainda mais forte: não é apenas subversivo, é ilegal, coisa de mercado negro, de clube secreto. Deve ser vendido à socapa, consumido no fundo da alcova. Uma bebida para artistas, para amantes. Não por acaso, apreciada por pintores como Van Gogh e Picasso, poetas como Baudelaire e Rimbaud, escritores como Wilde e Hemingway, entre outros doidões grandiosos.

Mas… o que é absinto mesmo?

É um destilado feito de Artemisia absinthium, ou losna, uma ervinha medicinal consagrada à deusa Ártemis/Diana. Pode levar ainda plantas como funcho, anis, hisopo, erva cidreira. É verde. É amargo. Foi produzido pela primeira vez em 1792 por um certo Pierre Ordinaire, médico francês. Seu teor alcoólico podia chegar a 85%, quase um Álcool Zulu com um gostinho para dar graça. Era servido com um torrão de açúcar, água e láudano, um opioide (parente da morfina e da heroína). Troço de doido mesmo. A característica endoidecedora do absinto é uma substância tóxica da losna: a tuiona, que excita as células cerebrais e que em grandes quantidades pode provocar convulsões.

Hoje, o absinto está legalizado na maior parte dos países que permitem o consumo de álcool. Sua gradação alcoólica é limitada a 53,5% no Brasil, que importa a bebida de Portugal. A tuiona permanece na receita, mas em porcentagem bem reduzida para não causar muito estrago. A bebida é consumida com açúcar e água, mas, claro, sem láudano. (Bom… vai saber.)

É por isso que o absinto aparece em dois contos meus: O jogo da meia-noite, publicado aqui no blog, e A boa senhora de Covent Garden, que em breve aparecerá em uma antologia.

A fada verde, romântica e inconsequente, ainda tem muito charme para emprestar a um escritor na busca da atmosfera certa. Mesmo que seja só na ficção. ;-)

Atualização: A boa senhora de Covent Garden foi publicado em 2009 no livro Paradigmas – Volume 2, da Tarja Editorial. Adquira um exemplar por apenas R$ 15,00 clicando aqui.

About these ads

28 comentários sobre “Absinto, a fada verde

  1. Meu, aquele de 85% de teor alcoólico ia deixar a casa cheirosa! :D
    Já tomei absinto… de fato, 55% de teor é muito, fico imaginando como era o de 85%….

  2. Tomei absinto pela primeira vez quando ainda era ilegal por estes lados, na década de 90… Nem lembro a gradação, mas “importado” de algum canto da europa oriental, aquilo deveria chegar perto dos 85%.

    Da versão legalizada, a última vez que bebi foi lá pra 2005, em algum drinque de cuja receita nem lembro mais.

    Mas é bom.

  3. Pingback: Você tem fome de quê? «

  4. Um Amigo apareceu com uma Garrafa de Absinto 85% na sexta em uma festa, eu nunka tinha provado, bebemos em cinco chegei a sonha com a Fada Verde kkkkkkkkkkkkkkk
    Esse troço eh forte mesmo, mais eh muito bom//

    • Absinto com 85% de álcool? Isso aí não é bebida alcoólica, é álcool com 15% de umas ervinhas e corantes. Vixevixe.
      Também quero sonhar com a Fada Verde. Será que ela vem na versão “fado”? ;-)

  5. Orra Camila vc tah decidida a naum esperimentar isso
    nusssss; eh muito loko; tomei no meu niver ;naum vi fada mas fikei ilário….AUHuhUSHAUHDUHSuhasuhsuhdsd

    to a procura será que achu somente no paraguai?
    ow alguem sabe de algum site aew?

    • Oi, Bruno, infelizmente não posso te ajudar. Como você mesmo notou, estou decidida a não experimentar, então não fui muito atrás de saber onde encontrar o mé.
      Boa sorte. ;-)

  6. ow por emcrivel que parece eu achei uma garrafa de absinto em uma rua, ela estava lacradinha, nao pensei duas vezes peguei ela e guardei dentro da mochila levei pra casa, nao abri ate hoje nao pretendo abrila tb, talvez um dia quem sabe.aparentemente parece ser bom rsrsrs

  7. Olá Camila,

    Visitei seu blog a partir de um amigo em comum: O absinto. Que também nunca experimentei nem pretendo experimentar. Mas, assim como você, me deixei levar pela magia da Fada verde.

    Pelas coincidências do gostar, a bebida e a escrita, fica o convite para me fazer uma visita.

    Um abraço,

    Malu

  8. Ainda vou esperimentar esse alucinógeno, mas minha vontade mesmo é o chá de cogumelo, e bom que eu sei e que pelo menos não trás o mal da violência, mas que inspira qualquer artista é a cannabis (sativa ou indica), sem apologia, apenas relato de experiências próprias…

    Bem, gostei da sua escrita!!! Muito bom mesmo!
    Parabéns..

    Abraços!

    • Oi, Pedro,
      Acho muito curioso que este post atraia tantas pessoas interessadas em alucinógenos. É bom eu aproveitar a ocasião para esclarecer que não faço apologia ao uso de cogumelos, maconha, santo daime ou qualquer outro alucinógeno, que nunca provei nem tenho vontade de provar. Não discrimino usuários, mas confio na capacidade do ser humano de se auto-alucinar sem esse tipo de interferência. Pra mim tem dado certo, eu vivo com a cabeça cheia de delírios sem precisar beber, fumar nem cheirar nada. ;-)
      Obrigada pela visita e pelos comentários.

  9. OI,Camila li e revi esta perguntas e repostas e chequei a coclusão de que vc é O (absinto). me deixou alucinado por vc rsrsrsr.

  10. Caraca!!!…
    Trouxe uma garrafa de Absinto ontem 29/08 do Paraguay 89,9% vol, a marca é Hapsburg, e o nome da bebida é Absinthe Premium Reserve (Extra Strong).
    Resolvi pesquisar á respeito na internet, e me deparei c/ esse post, agora to c/ medo de provar…(risos)

  11. Camila, adorei seu post… ja mostrei pra muitos amigos meus. E eu adorei o começo do post. um dia pretendo experimentar o absinto. um beijo e parabens!

    • Eu não pretendo experimentar, não – já viajo demais sem química, imagine com. Boa sorte pra você e obrigada!

  12. Para os curiosos do absinto, eu coloco diretamente uma frase:
    EU JÁ BEBI ABSINTO!
    Não sou amante das bebidas, bem ao contrario, apenas não tenho repulsa. Mas tomei um absinto em Portugal no último final de semana, este tinha teor alcólico de 89,9%. Posso garantir que é forte, alucinógino não creio, mas muito forte. Infelizmente a exportação para o Brasil é proíbida pelas leis de consumo nacionais, mas em minha proxima viagem a Europa pretendo tirar uma segunda opinião.
    Abraços

  13. Olá, pessoal!
    Comprei uma garrafa de Absinto Camargo, vendido, aqui no Brasil, num site muito bom: http://www.costibebidas.com.br – Além do Absinto puro, ainda tem a versão Ice Green, tal qual uma “Smirnoff Ice da vida”, é muito boa! É leve (5,5% vol/Gl), saborosa e convidativa em festas “caseiras”
    O Absinto Camargo, ou Puro Camargo é comercializado a 55% vol/GL. No site existem outras marcas, mas nada além dos 55%. Se alguém aí tem acesso à versão mais forte, entre 70 e 89,9%, eu gostaria de provar.
    Deixo meu contato: leir.lemos@hotmail.com
    Um abraço a todos e FELIZ 2012!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s